sexta-feira, dezembro 23, 2011

BLACK COUNTRY COMMUNION LIVE OVER EUROPE



  BLACK COUNTRY COMMUNION  LIVE OVER EUROPE

 Black Country uma banda que tem 2 anos de vida e dois albuns e um dvd referente a sua passagem  pela Europa.
Uma banda de brothers, uma comunhão de almas.
Glenn já estava gravando com Joe desde 2009,quando sugeriram a incorporação Jason Bonham, filho de John Bonham do Zeppelin, na bateria, fazendo uma união forte de um nome que já vem ai na estrada batendo forte a um bom tempo com The Firm do Jimmy Page. Para não ficar o power trio, coisa que o Glenn já havia experimentado  com The Trapeze  há 30 anos passados, diz Glenn" não quero falar de passado nem apontar o futuro quero fazer agora o que estou sentido ". Rapidinho ele convida  Derek Shekinian do The Dream Theatre, uma linguagem nova e poderosa trazendo melodias e insinuações da musica arabe e a oriental classica, para o teclado. Black Country Communion esta pronto e dentro dos estudios gravado seu primeiro album com grande esperança apoiado no nome de uma forte comunidade industrial de onde vem o  nome da banda. Black Country saiu 20setembro2010 e o 2 saiu em 13june2011.

 Azeitou as maquinas em sguida saiu para estrada apresentar a  nova cria:  A banda. Com seus conhecimentos do passado atravez do The Trapeze onde Glenn imperou e logo em seguida parte para o baixo e vocal do Deep Purple, seus conhecimentos com produtores europeus fizeram com que esta tour fosse organizada em tempo recorde.   Faz-se muito importante colocar nos pesos e medidas adoração que a Europa tem por Glenn. O Black Country foi gerado em Los Angeles, mais precisamente no estudio de Malibu. O nome da banda vem de  uma comunidade industrial  inglesa representada por Glenn e Jason. Glenn tem seus reversos e a sobrevivência de uma era da devastação das drogas em muitas bandas, hoje ele se junta com um guitarrista que mantem a elegância em palco e ainda canta, esta é uma novidade quando ele faz o questionamento e Glen  a segunda voz respondendo muito bem isso criando  dois timbres independentes. O desfiles de guitars eu deixo  para o Luke de Helder descrever já que é um musico que tem uma extensão enorme de guitarras,o desfile de Bonamassa e surpreendente, principalmente as Les Paul e suas variações de ano de fabricação todas são personalizadas, Bonamassa apresenta um Teremim quando sua mão aproxima da antena o som estático afina, distorcido cria efeitos em escalas estilo  Mutantes. Sua frases são criativas  e bem montadas junto com o teclado que vem com suas melodias árabes, indianas e classicas de uma banda de heavy.


Over Europe tem cenas de Vilevano na Italy e Berlin, Munich e Hamburg na Alemanha, areas onde a Igreja dos Santos dos Últimos dia do Deep Purple, puderam matar a saudade deste baixista que  mantem vivo e apresenta esse Hard Rock forte puro  preciso e cheio de malandragem de estrada.
Os fieis dicipulos  valorizam essas figura cheia de emoção e raça do rock.  Black Country Communion


CREDITOS :
Fotos e designer : Ednelson Luciano o mago do disco sonhador
Oxigenização do texto : Edra Moraes
Divisor espiritual : Cash The One
Sobre Temerin instrumento : Intrumento criado por um russo no inicio de século XX, que abre uma chave de sequencias e quando se aproxima com a mão ele produz efeitos  sonoros. Um dos mais antigos instrumentos do planeta terra, apresentado para nós no hemisferio sul pelos Mutantes, contendo duas posições a horizontal e a vertical, podendo diversificar as ondas sonoras distintamente.
Trilha de Construção do Texto : Live Over Europe






                                                              black country communion

domingo, dezembro 11, 2011

THE LAST DANCE

        THE  LAST DANCE  é o titulo da ultima musica do album  TIMES FADE AWAY DO NEIL YOUNG.
É o que realmente  ainda sinto quando escrevo este pseudo relatorio referente ao magnifico dia da realização em que comemoramos o aniversario de Londrina.
Foram 3 meses de labuta checando item por item, detalhes que não podiam escapar de maneira alguma.
Um mês cercado por tempestades e chuvas nervosas durante a tarde e o mormaço imperando antes e depois da chuva. Será que vai chover. Uma constante que cercou o projeto durante estes tres meses.
Acessos constantes ao Clima Tempo para saber das ultimas via satelite.Um dia recebi uma resposta muito forte a contendo um grande apelo de apoio: os três dias que se seguem quinta sexta e sabado não ira chover na hora do evento , fica frio. Uma semana antes do evento e esta força apareceu via internet. Não penso mais nisso, nem por isso deixo de agradecer aos céus pela paciência com este infiel e a luta para satisfaze-lo.
Sabado maravilhoso dia 10 de dezembro dia da padroeira, dia de aniversario. Seria um feriado em homenagem a padroeira, seria uma data de aniversario se tudo iss não passasse de um embuste, não é o dia da padroeira, e não é o dia do aniversario, explicando: Londrina teve um padroeiro que passou a ser a partir de 1957 o dia da Imaculada Conceição, comemorado dia 8 de dezembro, e o aniversario de uma cidade se comemora no dia em que ela foi emancipada dia 3 de dezembro de 1934. Some aqui sua propria  conclusão. De todos os problemas enfrentado para a realização desta enorme comemoração na concha do Zerão intitulada anfiteatro Pastor Jonas Dias Martins. Fomos recebidos  por uma enorme apaparelhagem digna de musicos da primeira classe que se apresentaram, enobrecendo os que estão em fase de evolução e os que mereciam esta aparelhagem, ela é chamada de a Number One do Rivelino a empresa que ganhou a licitação para  atender a demanda da prefeitura. Podemos detalhar o palco com uma aparelhagem que superou as expectativas, supreendendo os menos avisados. Conseguimos refrigerantes e sorvetes paraserem destribuidos a plateia pela  Jovem Pan FM . A programação mais que perfeita para uma comemoração de feriado...aí vem o baque no palco, os elementos convidados para fazer parte da programação não puderam comparecer.Vou enaltecer as presença de alguns que foram felizes na apresentação e conseguiram um clima alto quando estão no palco. A programação teve a abertura dos DJ'S irmãos naturais da Angola VAnexel e 4Play, qe com seu uniforme com cores do seu pais tiveram presença garantida e foram felizes em todos os momento de sua apresentação.
Destaque especial para o projeto Criança Feliz, com 50 elementos infanis fazendo uma mini orquestra, com mais 20 no corais e  20 na dança fizeram sua apresentação digna de quem esta se preparando para o palco e apresentações públicas vem aí Projeto Criança Feliz. Depois deles o grupo considerado atraves de premio como o melhor do Parana em Hip Hop: Pira Pura, com quatro vocalistas e biboys nas apresentações de solo. Chegaram e mostraram sua competencia profissionalismo, entraram sem incomodar e sairam na hora certa sem pedir. Gente pronta para o palco do planeta.
DE repente heis que surge pelas mãos do MC W, a menina Luana com um vozeirão e suas musicas autorais e covers de gente que anda abalando  as paradas ela e seu violão tão simples veio e foi no calor ardido da tarde. Em seguida as bandas juvenis de potencia nas guitars e afinadas mas as letras não conveceram, mostraram porque vieram e se foram. Ação começa a esquentar no palco entram o B-Side Band com seu rock puro e muito bem tocado. Mary Lee and the Sidburns Brother vieram e aconteceram sempre sua presença em palco é muito bem representada por Mary Lee com seu visual vintage dos anos do rockabilly muito bem feito e alegre. Entram em palco o Mescalha Band veio decidido a mostrar o som que acontece do lado de cima do Igapó, o divisor de águas da cidade que divide a cidade abaixo do Igapó e a de cima do velho espelho d'agua. O poder de pressão da guitar e baixo são um tanque de guerra em movimento, quando dão um tempo vem o batera estraçalhando o que sobrou e se sobrou, conseguiram um novo vocal que ficou melhor ainda muita presença do front man para segurar e debulhar o que ele tem na mão um  hard rock de primeira linha que não deixa pedra sobre pedra, para amenizar a competencia das cordas e pancadas introduziram um teclado que tem informação desde as seis mulheres de Henry VIII, passando pela Viagem ao Centro da Terra, e Rei Arthur, estamos falando de Mister Richard Cristopher Wakeman, um musico carregado de influencias de musica classica o pai do Rock Progressivo, se isto tudo não bastasse nosso techadista de plantão não fez por menos e não deixou o mestre por menos. Este foi o final da noite de um dia que inicio às 13h como na programação e terminou às  21h como haviamos combinado e o combinado não sai caro, o Mescal estava saindo de palco quando a enorme lua prateada se fez preesente no meio das montanhas de concreto meio que timida querendo saber o que aconteceu por ali. Agradeço a todos que tiveram ou fizeram parte desta festa que homenageou os 77 anos de Londrina. Agradecimentos a SONKEY, VIRA VERÃO LANCHES, CULTURA INGLESA, JOVEM PAN FM,  ISADORA SIMONI, CARIOCA, SANEPAR, CMTU, POLICIA MLITAR DO PARANÁ, POLICIA METROPOLITANA, RIVELINO SOM, SANDRA JOIA, CAPELOTO, ANDRE VARGAS, SIDNEY BOLA E TODOS QUE PARTICIPARAM  DO PALCO COM SUA PLASTICA, SEU SOM E SUAS AVENTURAS.

domingo, dezembro 04, 2011

LONDRINA 77

Londrina faz 77 anos dia 10 de dezembro de 2011.
Cidade magnifica e poderosa onde os grandes empresarios resolveram residir e investir
Trazendo com isto aviões, ativando  os correios e o crescimento de condominios de alto padrão
 torres residenciais  e comerciais que  lhe dão o porte que ela merece e devolve com sua beleza.
Todo  este desenvolvimento fez com que a cidade respirasse mais informação, mais tecnologia e
cultura. Se a cidade faz 77 e eu tenho 60 , isso quer dizer que cheguei aqui quando ela tinha 17...nada  disso,  são 77 anos de emancipação do municipio. Foi em uma tarde de Agosto lá pelos anos de 1929 que decidiram que essas terras tornariam a deslumbrante Londrina. Um Decreto Estadual cinco anos mais tarde no dia 3 de dezembro  oficializou a cidade que : de agora em diante se tornaria o municipio de Londrina.

Dia 10 de Dezembro de 2011, no palco do Anfiteatro da Concha Acústica do Zerão, denominada co Anfiteatro Pastor Jonas faremos uma humilde festa em homenagem ao seu aniversario, comemorando os 77 anos desta  emancipação. Tera inicio às 13h e vai até 21h. Voltando no espaço e no tempo nos áureos iluminados dias de 1968, eu  meus amigos se reuniamos no terrenos onde hoje é  a  concha. Na época um campo abandonado   mostrava o destrato com seu mato crescendo por onde já tinha sido eliminado. Em noites gloriosas reuniamos , com o pessoal circulando os carros em volta de uma fogueira. Cantávamos as canções que  a natureza e a reuniões deste tipo inspiravam. Sem grandes sonhos, um palco de madeira que possibilitassem os grupos se apresentarem.   Há detalhes deste tempo sobre um outro ângulo no livro do Zezão Makiolke  Eu, Elvis e o Papai Noel.  A concha nasceu com um anfiteatro abaixo do palco visualizando um mini palco com aquibancada de concreto para cem pessoas, muito concerto de punk, grind core e hip hop, da renda dos ingressos diretamente direcionado para a banda. Havia camarins, banheiros que davam um grande suporte as mini-peças teatrais e show de rock que ali marcaram datas. Em 1988 comandei a agenda desta concha. Estava a serviço da Secretaria Municipal da Cultura de Londrina e tinha facilidade de reunir musicos das mais diversas vertentes . Grandes eventos aconteceram por ali. Uma das cenas fantasticas foi a apresentação da Orquestra Sinfonica de Curitiba quando os 9mil lugares foram preenchidos facilmente. Um dos mais exoticos foi a presença do grupo RATOS DE PORÃO  que preparados para um show,(materia sendo escrita) teve de ser na ultima hora  transferido para o Moringão, o motivo foi um diluvio que estacionou no centro da cidade. Era  água por todos os lados,  Na ultima hora coisa que hoje seria impossivel, transferimos a aprelhagem já montada na concha para o Moringão. Resultado tudo só  ficou pronto as 23h, a banda tinha passagem marcada para voltar a São Paulo exatamente às 23horas  e 40 minutos. O show aconteceu,  foi um vortex semi escuro com João Gordo no palco a toda velocidade, e a rapaziada apresentou uma novidade que é o "pogar". Que é quando um se bate/esbarra em outro como forma de dança. A banda tocou meia hora saimos de lá direto para o rodoviaria. Quando chegamos  confirmamos  que o João não cabia no ônibus. Ele e o Max Cavallera que veio como road da banda não conseguiram ficar nas duas poltronas do ônibus, então desceram e abriram  a data de embarque para outro dia, assim ficaram mais alguns dias pela cidade. Tivemos a presença dos MULHERES   NEGRAS a menor banda do mundo, apenas duas pessoas. Lembrando que eles criaram o slogan em 1988, quando fizeram um show de extremecer a concha, com um vento  que começou a crescer no final e a plateia fazendo grandes bolas de papel jornal  incendiadas e mandavam-nas para o palco causando um pânico meio que controlado minutos depois. E ainda grandes shows de Heavy Metal aconteceram por ali. Neste sabado de Dezembro dia 10 faremos um show salada..serão varios estilos  e  grupos. Iniciando às 13h com os DJ'S e indo até às 21h, na programação,  capoeria do mestre Farinha,  DJ'S de Angola o  DJ Vanexel & 4Play, fazendo um bit de raiz direto da Mama Africa,  com seus tambores construidos artesanalmente  e exclusivos para as presentações do Batuque na Caixa, criado a mais de 10 anos pelo mestre Aldo Moraes, ganhador dos premios Itau Unicef e Junia Rabelo, tendo lançado um cd que desperta a curiosidade da cultura brasileira e paises Europeus e Americano. O  Projeto Orquestra  Criança Feliz , conta mais de 100 musicos infantis farão sua apresentação especial de natal. O Hip Hop vem  com dois grupos muito bem representados que são o W MC e Pira Pura ganhador do premio de melhor Hip Hop do Paraná 2011. No comboio do rock  os estilos serão variados. Impacto Rock despejará um rock de jovens fazendo um mixer de todos os estilos, Mary Lee and The Sideburns Brothers traz o country elegante e a musica limpa dos anos 50, os B-Side Band, Luke The Helder Trio, MonkBery e Mescalha espalham seus tentáculos cheios de rock autoral com a presença forte do blues e carregados em climas de hard rock. Foram convidados a Secretaria de Saúde para realizar exames rapidos de peso, pressão e atenção a saude dos convidados, a PM trara seu modulo movel de informação e tática  de segurança, convidamos os clube do carro antigo e esperamos apresença do clube dos jipeiros, a Jovem Pan FM  trara seu módulo com sorvetes & sucos para distribuir a plateia e banheiros quimicos,  a escola Cultura Inglesa vem com seu módulo anunciando as novas matriculas e junto com a FM trazem os aparelhos infantis do Tio Douglas para a diversão dos interessados, faltou palhaços no palco e andando pela plateia,  muitos requisitados nestas datas, não nos foi autorizado trazer um bolo de aniverssario do tamanho de dois balões gigantes que fariam o visual da festa ficar potente ele ficaria estacionado chamando atenção dos fotógrafos e filmadoras de plantão, assim como papais e mamães com seus filhos  como tambem um grupo paulistas, curitbano ou maringaense´para ser o carro chefe da  festa. O Zerão esta muito bonito e a área verde saiu com tudo para decorar o ambiente onde ela impera. Como diz Neil Young esta noite faremos uma grande festa.
Este texto foi escrito com a trilha de :ROGER WATERS : THE WALL LIVE IN BERLIN 2000  & WHEN THE WIND BLOWS ambos cedidos gentilmente pelo Muro (Muro Classic do Rock)
Arte final & Fotos : Ednelson Luciano
Cirurgia Higiênica no texto by : Edra Moraes




segunda-feira, novembro 07, 2011

Cardápio : Chickenfoot III




                                                         CHIKENFOOT     I I I

CARDAPIO : PÉ DE GALINHA ALBUM  III


     Após quase 2 anos um disco e um DVD o Chickenfoot está de volta com "III" um novo disco que consolida a banda e tira a idéia de projeto de supergrupo, pra quem não conhece ainda o Chickenfoot é formado por Sammy Hagar, vocal e Michael Anthony  ambos Ex-Van Halen. Chad Smith (Red Hot Chilli Peppers) e Mr. Joe Satriani nas guitarras. A Banda é uma pedrada na orelha além de muito talento individual demonstram união, pegada de Banda mesmo e não apenas músicos tocando juntos.

     Lançado recentemente em 23 de Setembro de 2011 o Chickenfoot III mostra um Rock competente e vibrante.  Sammy Hagar manda aquele seu vocal excelente com a sua cara de um dos mais fortes sobreviventes do bom  e hard pesado de filmes de Sessão da tarde dos anos 90, Michael Anthony Super competente como sempre, Chad Smith mostrando muita versatilidade tocando em um estilo totalmente diferente de seu seu trabalho com o "RHCP" e um Joe Satriane econômico porém não menos criativo sem aquele excesso de notas e efeitos em um tempo alucinante que acompanham sua carreira como guitarrista.


CHIKENFOOT III
 A historia persegue esta banda cheia de grandes lançamentos, por sorte ela tem seu vocalista front man como um dos mais produtivos da America..vejamos : Sammy Hagar vem lá dos anos 73 quando fazia parte da banda Montrose, conhecido com red Rocker. Em 1985 entrou para o imponente Van Halen, ocupando o lugar de David Lee Roth que a principio parecia um incomodo, mais tarde com a saida de Sammy querido pelo stage do rock,  Halen apresentou sua face de super ego, já com David havia levdo uma cusparada em sua face quando recebiam um premio ao vivo pela TV. Sammy é carismatico filhos de americanos é verdadeiro lenhador..
Em algum tempo na historia ele acabou ficando com um lugar muito procurado pela turba de roqueiros o Cabo Wabo na ponta de Baja, California, do lado do Mexico. gravou mais de 30 albuns pela vida  e agora firme nessa banda Chiken Foot que na tradução careta quer dizer pé de galinha, mas a conotação é de veteranos que sobraram do rock e fazem um bem melhor atualmente..sente só o Chad Smith pilotou o grande Red Hot Chilli Peppers, participando de albuns com a banda mas, já trabalhou com Johnny Cash, Glen Hughes, Dixie Tricks e o  B'S - Magic do Japão, fez um album com Kid Rock e alem de fazer este III tambem participou de I'M With You  do Red Hot para 2011.
Joe Satriani, quando pobre chamava-se Joseph.
Iniciou na musica como baterista, quando passou a sr guitarrista logo virou virtuoso e já saiu dando aulas para Alex Skolnick do Testament, Kirk Hammet do Metallica, e Steve Vai,  Começou cedo nas gravações em studios fez seu primeiro EP de 5 musicas. Sua fama cresceu com Surfing with the Alien que apresentou o surfista prateado na capa de seu album. Passou pelo Deep Purple, e largou na mão de Steve Morse e fundou com Vai o G3 em 1996 e veio com o G3  variando os convidados até 2009 quando somou com a rapaziada para levarem o Chikenfoot onde acredita ser sua casa.
 Michael Antonny ex-baixista do Van Halen atual baixista do Chiken acredita piamente que eles sofrem influencia do Led Zeppelin.
.


Chickenfoot é isso aí vale a pena ter este CD,  os órfãos de pais veteranos sobreviventes dos grandes tempos do bom e forte rock'n'rol  de onde saiu todos estes errantes que fazem hoje , insistem e fazer o ainda melhor rock da praça.
   








DETROIT BREAK DOWN CITY - J.GEILS BAND

     Este é o grito  das feras do J.Geils Band, no album ao vivo deles :...BLOW YOUR FACE OUT'1976.
J.Geils desce a ladeira fazendo um funky metido a rock'n'roll dos mais duros de ralar.

     No disco ao vivo Peter chama J.Geils de Jerome na wikipédia chamam J. de John, tá valendo porque neste momento a banda já era a muito tempo,as ultimas contam que J.Geils largou a banda que já vinha caindo a béça para restaurar carros antigos em Massachussetts...Detroit Break down..blow out your face....A banda teve um harpista mais conhecido como gaitista hoje em dia... Richard Salwits trincava sua gaita, iniciando pela ultima nota e ai vinha uma base ou um solo  derrubando paredões, banda forte alegre trazendo um funky dos anos 70 bem diferente de hoje mas com batida original. Hey Motor City!! is burned...frase do MC5... Peter Wolf  ex DJ de FM, era um Mick Jagger de Motor City. Neste album ao vivo ele faz explosões vocalisticas de alta intesidade e rapidíssimas conjugando as girias locais  rimando com efeito sonoro, dignos de uma banda black,  não deixando nada a desejar. sua postura em palco tambem era fora de série, ele fazia uma cena onde parece estar sentado em uma cadeira imaginaria, se apoiando no pedestal e fazendo giros de 360°, em um de seus show ele cavalga seu arpista que continua solando sua gaita incandescentemente coisas assustadoras para sua época.



     J.Geils Band lançou 17 albuns de 1970 a 1986, frequentou as paradas de sucesso varias vezes fincando sucessos atras de sucessos. A Billboard foi fã dos caras. Os desentendimento como em qualquer banda que cresce, procurando expandir seu som e evoluir nas letras como as do Geils eram de amor mas, um relação de marginal amante por uma amada que sai em fuga só para esquentar o relacionamento movimentadíssimo, deixando trilhas para seu amado seguir, sua puta sei que não esta em casa sozinha abra pelo menos essa janela para eu te ver com esses cabelos oxigenados de verde oliva.. ÔOO que !!!!!!!!esta fazendo a unha e não pode me atender.....quem esta ai com voce me diga seu cabelereiro ou aquele cafetão de horas extras. J.Geils Band tem um album chamado Hot Line, onde o telefone sai da capa externa para fazer a chamada.

     Este é o J.Geils Band que perseguiu minha geração , eu  Saile, J.Jorge e mais quem tivesse na roda ficavamos embasbacado ouvindo suas transas de vocalização. Quando por uma causa sem explicação para nos do sul do planeta... Peter Wolf se desentendeu com Seth Justman o tecladista de altas frases criadas neste teclado de piano de calda que ele exigia em palco e pegava muito bem, rachou a banda, J. ainda tentou arrastar a banda que foi declinando e Peter só em alta lançando albuns e escalando a parada de sucessos como sempre...o final foi a saída, J.Geils para Massachussetts, Seth para um estudio de Boston e se fechou e o resto da banda foi ser componentes de outros grupos..para uma banda que hoje ouço como se fosse hoje...cheia de vibração, alegria , sacanagem , malicia e velocidade na apresentação e muito romance...mais muito hot romance mesmo.
Geils band são..
Johnn Geils - Guitar
Peter Wolf - vocal
Seth Justman - teclados
Richard Salwitz - harmonica
Danny Klein - bass
Stephen Jo Bladd- baterista
Creditos:
Fotos &designer e clips : Ednelson Luciano
.




quarta-feira, setembro 28, 2011

DEIXEM A TERRA EM PAZ !!!!!!!



Deixem a Terra em Paz, o grande grito de guerra de Redson para o mundo.

Deixem a Terra em Paz ecoam seus fãs.Redson se foi , em um dia feliz porque se comemora Cosmes e Damião duas crianças negras
que são homenageadas com doces e balas em minha época era pipoca de montão.
Redson foi para mim, uma figura especial em relação amizade.
Vou lembrar aqui algumas passagem que tive ao lado dele :
     Quando o conheci a primeira vez foi em uma cidade perto da divisa Paraná São Paulo.
Uma figura muito louca da cidade resolveu fazer um show de rock e se fazia necessario o contador de historias em FM : Paulao Rock'n'Roll, chamado  compareceu em peso.
Onde seria: os ingressos todos vendidos e mais gente querendo ir, uma tremanda casa de show na cidade..enorme.
     Seus patrocinadores : o ditribuidor de bebidas da cidade e de algumas fazendas na região...dinheiro não importa Paulão...o que fazer e como dois shows podem acontecer, aí foi que perguntei quem são os cara que vão tocar :...a resposta veio meio timida..O Colera..entendi o Ira!!!!
Cara é o seguinte deste tamanho e lotado só fazendo ao ar livre ..e os ingressos deixemos na casa e o show ira acontecer na house. amanhã...o patrocinador mais que rapido topou a ideia.
Um show ao ar livre a noite em frente a distribuidora e outra dentro da casa de show no dia seguinte...facil agora vamos falar com a banda quando chegar.


     A banda era O Colera e não o Ira...sem mais delongas vamos arrumar o palco cadê o palco....
Paulinho o produtor local decidiu com o patrocinador seguinte : duas carretas fechando a rua em frente a distribuidora a rua era uma avenida com jardim no meio... e solta o povo. Estamos no palco muito bem feito e seguro e uma aparelhagem de boa qualidade. Primeiro os grupos locais e um guitarrista excepcional detonador fez seu blues poderoso...ai é a vez da banda principal; Paulão sai com essa : ..E ai rapaziada plateia cheia, lotada bonita de se ver...E aí até que enfim chegou nossa vez graças a Deus nós temos COLERA( a doença) de graça para voces..entra Redson não muito contente cara de sem graça e faz um show arrazante...vamos para o restaurante e vamos dividir uma fritada de frangos quando Redson fala bem perto da minha orelha : Pô  a gente não é doença amigo....eu muito cheio de razão respondo o que é então: ele responde: ira ódio,cólera de invocado..pô gordo feio aprende. Dia seguinte tivemos mais um show nas carretas e lotou como o primeiro. A noite a casa de show providenciou um convidado especial para cobrir os ingressos vendidos. Um tal de cover do Raul Seixas fui até lá, conferir e arrepiei o cara era o Raul da cabeça aos pés, ele recebia o espirito do Raul. Coisa asustadora, timbre de voz, batida nas cordas, encenações o cara era o Raul..sai logo arrepiado e sem fala.
Segundo Encontro com o Redson e sua Banda Cólera.
Estamos na casa de show do Paulinho Tattoo, hoje Alona na rua Leste Oeste em frente a Delegacia.
                 


                           Banda do dia: Cólera
     Nos encontramos dentro da casa e fomos tomar refrigerantes pois nem eu e nem ele neste dia iamos de alcool. Rimos muito do incidente das carretas, e no palco : Cólera.
Showzação detonador, destruidor emplogante poderoso. Muito bom e..a plateia lá fora tinha dobrado e queriam ver o show  e a casa lotada, conversamos com Redson ele se prontificou a um breve descanso e vamos para a segunda sessão, neste momento estou lá fora e algumas meninas deixada em minha responsabilidade pelas mães, que diziam : só vou deixar se voce olhar...elas confiaram..tudo bem assistiram a primeira sessão e sairam ...carregadas para fora para esperar a mamãe. Elas passavam  e perguntavam cadê elas eu dizia: estamos trazendo aguenta mais um pouco dá mais uma volta..quando elas conseguiam se repor mais  ou menos, colocava no carro e dizendo só bebeu um pouquinho com as colegas, foram poucas meninas umas doze no maximo, neste momento eram 5h da manhã.
     Terceiro encontro com Redson, DemoSul em 2004, tenho um programa de TV e fizemos uma entrevista fabulosa até subirem no palco, Redson pediu para que os apresentasse se não invocasse o nome da doença..e lá fomos nós, apresentado  estou voltando para descer do maior palco do Demo até hoje uns 4mts de altura quando a empresaria da banda me diz olha o Redson te chamando ainda no palco, me voltei ele  chamando com as mãos e cantando sua canção...fui até lá então vi a surpresa duas camas de artistas me convidando para um mosh o que não fiz de rogado dei uma ré até o batera e me lancei, um segundo e meio mais eletrizantes da minha vida,voar sem paraquedas e cair em mãos de amigos, é sensacional, gratificante, fico imaginando quando o vocalista da banda Slipknot fez aquele no Rock In Rio semana que passou 25/09/domingo.
                                                                                        
     Redson foi para mim, um amigo quando presente, atendia o telefone em sua copiadora xeroqueira em sampa e me dizia como fazer, como atender um musico uma banda. Cólera sempre tocou muito no Azylo Hotel na época certa no momento exato  um punk politizado, irado com o sistema,  raivoso nas guitars e pacifico e decidido na batera.
     Não fui ve los na ultima vez em Londina, foi adiado o que me causou muita tristeza , queria ter visto essa fera que quando no palco tinha uma atitude de guerreiro urbano contra o sistema, quando fora do palco uma pessoa esclarecedora e interessada em passar  detalhes o mais coerente possivel para o locutor possa entender tudo certo...uma atitude punk mais honesta do pais.  Redson muitas saudades...







sexta-feira, setembro 23, 2011

A NOITE DO SACO DE RATOS N' CEMITERIO

Diego Basa, Fabio Pagotto, Mario Bortolotto, Fábio Brum  & na Bateria Rick Vecchione


     Noite de lua quarto minguante  pavorosa, um sábado 17 apavorando a mulherada de plantão que vulgarizou a palavra amor, simplesmente para amor é foda.
    O amor de primavera estavam circulando pelos becos ruas e bares locais de um setembro suado de noite quente.
     O local era perfeito os interiores do Cemiterio de Automoveis, uma vila cultural que se esconde na saida de Londrina direção, Rôla, Arapa, Apuka (Rolandia, Arapongas e Apucarana), vem aqui gata me fazer uma massagem na espinha. O Cemiterio acomoda os pseudo culturais, os podres normais, os alucinados pacificados e piromaniacos felizes, os pastores de férias e prefeitos regionais de plantão o palco esta pronto e sobe  Mario Bortolotto e o saco de ratos.

     Rapidamente a frente do palco é iluminada com a mais atraente nata do lixo cultural londrinense, o césio em ação em uma plateia de etilizados de carteirinha, as mulheres completamente carregadas de hormonios em furia, ovulando atrasadas com os olhos & bocas remexendo e cantando as poesias marginais do profissional que mantem a pinta de machão chauvinista em extinção, com seu cuturno sujo de barro paulista pisando nas femeas que adoram ser massacradas por motoristas de caminhão, borracheiros da madrugada, garotos de rendinhas recheadas,  donos de bares de esquinas abandonadas, e poetas encharcados de amores afogados. 


ABERTO A TEMPORADA DO SABBATH 'BLUES' SABBATH  


Mario cada vez mais alinhado com a poesia gilete que escruncha a mulher e de madruga vai pedir colinho para ela, porque poeta que se preze cai de boca. Mario é um poeta maldito em extinção, um filhote de Leminki deturpado por Tarantino(Luke). Fabio Brum um guitarrista amaldiçoado com a sabedoria do blues, Fabio estudou no MI de Los Angeles, aonde conheceu lendas como Scott Henderson, Steve Trovato, Keith Wyatt e Tim Bogert, foi um dos fundadores do Bando do Velho Jack, levou os Bêbados Habilidosos a extensão da palavra, trabalhou com Paulo de Carvalho das Velhas Virgens no Cuelho da Alice,  foi guitar do Made e agora levando os velhos gordos e bebados dos sacos de ratos acompanhado pelo super competente Diego Basanelli (Basa) substituindo o  guitarrista "oficial" Marcelo Watanabe e a cozinha firme e consistente de Fábio Pagotto e Rick Vecchione que traz no seu sobrenome o Rock "Made in Brazil".

    No cemiterio criou-se uma linha fina elegante e pesada do blues, no século XVIII chamava-se de iluminismo, centralizando a ciência  da guitarra e fazendo este cd e o show ao vivo se transformarem em uma obra de arte.  Nesta noite foram quase 4 horas de massacre musical que o tempo todo pensei estar ouvindo lembranças da banda de Lou Reed , com a dobradinha Steve Hunter & Dick Wagner os dois albuns ao vivo 76/78 . Fabio facilmente pode se considerado uma atração dos mestres da guitarra no Brasil atualmente..foram 6 tentativas de tocar a saidera e o tema ia extendendo cada vez mais...parece que foi em Johnny B.Good que prometeram ser a ultima, não aguentando mais a exarcebação do blues,  sinuoso e marginal coisa de loco, me desintegrei. Sua plateia incandescente não deixava por menos nem aquela ali ó considerada por mim a mais: quero essa mulher para mim, sensual, torneada, maliciosa, avassaladora, cabelos vermelhos e quente quando cheguei perto... uau. A noite foi dos ratos dentro do saco..lembrou Stalone de cabeça para baixo dentro de um saco de ratos quando tiram o saco ele estava com o maior na boca....sem chance para o rato.


Pra quem ainda não conhece a banda Saco de Ratos:




CREDITOS
Banda:
Mario Bortolotto : vocal e letrista
Fabio brum: Guitar e back vocal
Rick Vecchione : baterista
Fabio Pagotto : baixo
Diego Basanelli : Guitar, sax, flauta e vocal.
vem cá me ilumina a  mente: o album do saco de ratos foi editado, mixado pelo mestre Edu Gomes o velhinho que solava alucinadamente para o Andre Cristovan no Londrina Festival de Blues.....
Apoio logistíco, fotos, cultural & designer : Ed&Nelson
Apoio Espiritual (em falta tem mas acabou) Cash One(Cachone)
Produção Executiva : Val & Pedra
Texto com a trilha original do CD do Mario.

SEXTA N'CONCHA TRIBUTO AO CAÇA

   Este ano de 2011 foi fatídico para a banda Caça Nikel de Londrina, dois de seus melhores guitarrista se foram..No inicio do ano o musico Saile Vanderlan Barbeto, conhecido por nós como Sailumba se foi  vitima de infecção hospitalar. Em meados de junho o guitarrista Alberto Filgueiras Junior, talento extremo e influenciador de uma grande massa de guitarristas se foi tambem. Há 3 anos atras o musico Roberto Pereira. conhecido por nós como Jorjão ou J.J. Guitar se foi vitima de diabete. Assim a banda Caça Nikel deixa de existir sem condições de voltar, já que quando somente a existência de Juninho já tinha mudado o nome para Senta Pua, uma homenagem  aos pilotos da F.A.B.

   Este ano resolvemos prestar uma homenagem a banda que desde o inicio promoveu o seu lado Hard sempre com musicas autorais, algumas do Saile, outras minhas, ou de Jorjão, letras pesadas e canalhas como as de hoje. O Caça fez um som que aproximou muito do hardrock que ouviamos : Rolling Stones, YardBirds, The Animals, Led Zeppelin, J.J.Geils Band.
                  




                     SEXTA N'CONCHA , 16 de setembro de 2011 TRIBUTO AO CAÇA
Iniciamos ali pelas 18:27m com a banda do Marcos Fernandes Angelico, conhecido no meio musical como Marquinhos dono de um espetacular studio para gravações. Marquinho foi em determinada fase do Caça o baterista mentor, e decidindo o bit da banda atraves de sua pancada pulsante da batera. Marquinhos tambem foi autor de varias musicas levadas pela banda, apresentadas no concerto como: Vá pro inferno, Garoto Mau, Nuvens Cinzentas e o Hit da banda : Gatinhas da Sergipe. Convidado a participar deste projeto, montou sua banda com Sergio Volpi baixo e Carlos Sardi baterista do extinto Super Sessenta banda que reviveu os anos dourados pela região tocando  musicas de bailes e muito Beatles, e Zé Alexandre um eximio guitarrista dos Cevadas de Rolandia hoje  fazendo guitarra nos Beatles For Sale, banda local, e trabalhando em uma loja de instrumentos musicais onde a passagem dos musicos se  faz necessario para conhecer novas tecnicas. Marcos tambem convidou Adriano Fiori, por um tempo foi guitarrista do Caça, presente neste tributo, convidamos Jô que por um tempo tambem fez vocal, não conseguimos contatar o Beto que foi um dos baixistas da banda, hoje na Banda Municipal de Londrina, tocando...guitarra.
Nesta noite o que aconteceu foi uma das sessões mais especiais que já tinha participado, foram as entidades presentes mais conhecidas com Espiritos Zombeteiros que comparecem e não prejudicam ninguem só se divertem. Em determinado momento quando a primeira banda iniciou seu set de apresentação um cidadão se levantou a leste de mim, na mesma fileira e iniciou sua dança frenetica somando  toques indigenas, com cenas de Elvis, e danças do vocal do Dr.Feelgood misturados com as do vocalista do Cramps...coisa fantastica iluminada,uma fotografa ao meu lado conferiu e se arrependeu de não ter trazido seus instrumento de trabalho terminou o show e ele sumiu...outra figura foi o tecnico de som que surgiu no meio da tarde e foi resolvendo problemas tecnicos da parelhagem, onde ele colocava a mão resolvia, dizia ser meu amigo..mas eu nunca tinha visto a péça..depois disse ser amigo do Ze Alexandre que informou imediatamente que ele dava trabalho quando aparecia na loja, certo momento WMC mandou ele dár um tempo que não parava de falar, e foi assim até o fim do show. Uma figura subiu ao palco e passeva de lá para cá...querendo cantar ou tocar e descia e subia, coisas de louco. Figuras que nunca tinha prestado atenção porque sempre estou na frente dos concertos. Marquinhos terminou e subiu ao palco o grande Gobbi Junior o senhor das baquetas o trovão iluminado da banda Led Zeppelin Cover, Gobbi fez sua apresentação solo e apavorou os bateras de plantão, seu solo lembra dois caminhões em colisão frontal, saiu do palco ovacionado, e eletrizado pela cena que  criou e estava se alimentando com as energias enviadas, "quero voltar Paulao me chama, venho até com a banda nunca pensei que fosse assim ". Uma das presenças mais emocionantes foi a de Dona Inês mãe do Alberto Junior, que bateu presença afirmando ter vindo ver o tributo ao vivo, e saiu do seu lugar para prestar homenagens ao Gobinho pelo solo que ela diz  ter sido espetacular. A segunda banda da noite foi acionada logo após saber às 10h que a  contatada não iria, convidamos o Billy Bastardos, às 10:10 da manhã de sexta para tocar logo mais às 19h. O  trio eletrizante do psicobilly que trouxe todos do bar do Jaime para a concha e ai...a panela ferveu, a tampa voou,  e o palco derreteu.
Como um show foi completo  apresentando duas bandas radicais, gente que gostou muito do Marcos Banda e seu estilo de hard rock, e a segunda banda trouxe um estilo antigo muito atual em voga na região. ...A Concha Acustica esta para as bandas como um ponto organico necessário para seu curriculo de apresentações, pensei em até refezer este tributo mas torna-se impossivel de realizar o evento partindo da ordem cronologica...  o resultado foi esse.  Estamos correndo para o o mais novo evento..Banda autorais para novembro uma grande festa.

quarta-feira, setembro 14, 2011

Sexta'n'Concha Apresenta: Tributo a banda Caça Níquel

               
Nessa Sexta 16/09/2011 irá rolar na Concha Acústica um Tributo à Banda Caça Níquel



Uma Homenagem Especial à trinca de Guitarristas que passaram pela banda e já nos deixaram J.J.Jorge, JR.Guitar & Saile Barbeto.

Marquinhos Angélico baterista do Caça Níquel subirá ao palco para executar as músicas do Caça, além de Luke De Held Trio que apresentará algumas versões de músicas do Caça Níquel e ainda convidados que estarão reverenciando essa histórica banda londrinense de Rock Autoral.

Então a gente se vê por lá ...Sexta Feira a partir das 18:00 hs na Concha Acústica de Londrina bem no Coração da Cidade....




Fotos Arquivo pessoal do  Marquinhos


Se você não conheceu  ou ainda não conhece pega aqui um pouco do que rolou com o Caça Níquel : Download - Caça Níquel






Agradecimento Especial à Marquinhos Angélico que nos abriu o Baú para que parte da Obra do Caça Níquel pudesse ser conhecido pelas novas gerações !!!

segunda-feira, setembro 12, 2011

ZOMBIE SCREAM CONCENTRAITION






                          O GRITO DA ZOMBIZADA II

     A Zombizada estava solta neste sábado 10 de setembro na Concha Acústica do Centro de Londrina.
Este foi o segundo evento e se tornou oficial para esta concentração onde a rapaziada se divertindo e feliz montavam com auxilio dos companheiros, amigos e irmãos suas imagens de filme de terror. A coisa começou timida ali  pelas 16hs da tarde e foi rapidamente crescendo com vontade e diversão especialidade deles jovens para sempre. Esta é a segunda  concentração, a primeira começou no cemiterio local e se dirigiu ao centro, ano passado. Este ano a reunião foi na concha esperando um som para alimentar suas imaginações ferteis.Neste dia acontecia na UEL um término de curso de fotografia que trouxe gente de todo o pais, conheci gente de Belem do Pará-Pa., São Luiz-Ma.Sorocaba-SP e de Curitiba-PR.    


Quando deu 18h no relogio da cidade ( antigamente chamado relogio do Banco da America) a procissão se dirigiu a um bar onde estariam apresentando varias bandas de psicobilly, Hill Billy o som certo para essa rapaziada divertida.




Caminharam pela cidade  calçadão protegidos pela policia e na maior calmaria sem incidente. Durante a produção de suas imagens na concha a parelhagem já pronta para iniciar o concerto das Beatrice's & Tenis Sujo &Scarpin



Recebemos a estreante de palco e microfone a menina Luana que com temor interno não demostrado  apresentava suas canções e suas favoritas, com um estilo totalmente cool Luana levou na maior sua apresentação apaixonada apesar de ser totalmente out da concentração ninguem a incomodou...De repente alguem  que estava a tres quadras dali manda um e-mail  dizendo : tem gente na concha tocando musica da Adele.....

Luana



     De repente aparece as Beatrice's 4 garotas que montaram sua banda pelos idos de 2005, tendo sua lider vocal Suyanne apaixonada pelas Runaways uma das bandas percursoras do movimento Rockgirls...no incio eram homenagens as bandas feminista que estavam nas paradas esmurrando o paredão do rock machista que impera até hoje.


Por um bom tempo entre 2005 a 2008 a banda participou de palestras realizadas por mim em colegios da cidade, minhas palestras contava os cem anos do rock desde 1860 até 1970, iniciava nos primordios do blues e vinha até Woodstock. Após a palestras elas era apresentadas como a nova tendencia, era o que mais a garotada colegial queria ver as Beatrice's em ação, meninas que empunham guitarras e bateria. Hoje 3 anos se passaram de circuito fechado pelos bares da cidade & palestras e.. a banda sossegou o pito e foram se domesticar nos braços de mamãe, voltar as aulas, namorar e...trabalhar.


Então heis que Suyanne encontra com Paulão Rock'n'Roll e a poeira se levanta..a fogueira se reascende e por que não. Em questão de uma semana elas estavam de plantão loucas para mostrar suas novas canções guardadas nos velhos diarios. Beatrice's estão em chamas. Fizeram uma pré na sexta 02 chamadas a pressas só para matar a fome de tocar na concha, a concha se tornou para as bandas uma arena obrigatoria no curriculo deles, existe o antes concha e depois da concha na vida de todas  as bandas londrinenses. As Beatrice's não poderiam perder essa. Passaram semanas no Studio do Bressan ensaiando, sairam do estudio e foram para concha na sexta 02 de setembro, tensas e ainda não dominadas pela febre..aconteceram.

SABADO 10/SET.2011 * BEATRICE'S N'CONCHA
São 18 e la vai pedrada e as meninas descem do automovel em plena Souza Naves, carregando sua bagagem de palco...se instalam no bunker que é o palco da concha todo iluminado esperando as star, e a festa se inicia. Loucas para tocar Doidas para cantar tudo que estavam segurando e com raiva de melhorar tudo que não conseguiram pela ultima vez. Foram mais de uma hora e cincoenta de show de quem fazia um tempo que não tocavam.  Guitar e baixo, Mayara Scudeler e Catia Simões tensas o tempo todo, pareciam que iam casar, Isabela Gomes, aluna de Batistela mais segura em seu drums batia forte e decidido tipo : vim para decidir, Suyanne Correia que saiu com essa de Thay Sanches, fez o que queria, apresentou suas canções engavetadas, tocou violão, guitar semi acustica do Scarpin, voltou tirou uma com o batera do Tenis sujo e fez uma  vocalizando uma homenagem ao tributo a Johnny Cash breve retorno as casa de show's da cidade. logo em seguida a apresentação master da Beatrice's....



Paulão Rock'n'Roll & As Beatrice's

Tenis Sujo & Um Scarpin
 Entra em palco um banda super pronta para os palcos de Las Vegas  : TENIS SUJO & SCARPIN....bit rapido e tenso, rockbilly necessario ao extremo quase psico, remembered quase tudo e deles..Carla Caroline uma baixista pulsante, infernal, possuida pelo rock uma pipoca na panela quente Denis Alves um guitar que em momento algum deixou as frases diminuirem contagiante e instigante, seu vocal pareceia que nasceu no meio daquilo, o baterista uma edição a parte do show da banda mister Guilherme "Skol" Batista, que pela segunda vez em shows  produzidos por mim, cai do palco com bateria e tudo..desta vez a coisa foi mais emocionante ainda o palco foi desfazendo do assoalho até as péças e ai não teve outra maneira senão derruba-lo para tras o que foi com bateria e tudo, continuou batendo no que estava a mão arumaram rapidinho e a musica continuou como se nada tivesse acontecido, seu grito de : "esse é o melhor show de rock que ele tinha participado" foi a maior avaliação de que tudo estava totalmente fora do controle normal do nada vai dar certo. TENIS SUJO & SCARPIN, convidado pela terceira vez ..enfim compareceu, neste dia que a platéia era totalmente dependente deles e das Beatrice's eram suas plateias..nada anormal e tudo aconteceu como o grande inspirador desta sequencia de eventos na concha disse na tarde deste dia : "O que importa é distribuir alegria e felicidade a essas pessoinhas que vem para só para se divertir participar e curtir."   Luke de Held.



































Creditos :
APOIO: VIRA VERÃO LANCHES, SONKEY, LUCIANO & LEONARDO E LUKE DE HELD.
Fotos : Zé Roberstones Pieretti & Ednelson
Cartaz :Demetrius Jimme & Mauro Fava(cartaz das Beatrice's)
             JP &Indião(cartaz dos Zombie's e camisetas )
Trilha Sonora p/texto : Jefferson Aiplane : Long John Silver(68)

sábado, setembro 03, 2011

TUDO PELA PAZ II



TITULO DO EVENTO ; CONCERTO PELA PAZ II
DATA: 02 SETEMBRO 2011
LOCAL: CONCHA ACUSTICA CENTRO
HORARIO: 18H
LUA : QUARTO CRESCENTE
BANDAS PARTICIPANTES: IGGY D & THE TRAITORS
BEATRICE'S + LUKE THE HELD TRIO AND FRIENDS + THE B-SIDE BAND
Deveria e vou incluir a participação de Ednelson que nos apresentou o novo album do Zack Wilde
The Song  Remais Not The Same com sua banda The Black Label Society, o qual ouço enquanto escrevo esta s linhas.
Vitor o tecnico da aparelhagem do Rivelino levou a sério meu pedido e colocou a aparelhagem a disposição exatamente às 17h. Rolou manso e pacifico os albuns do Frank  Zappa : Crusing & The The Jets e The Song Remains Not The Same do Black Label Society.


Iggy D and The Traitors
Iggy D & The Traitors com somente dois elementos do trio real,porque o terceiro o batera estava no Rio ajeitando a grande proesa da tour, a dupla bateu presença acionando o aquecimento da aparelhagem às 18:10m. Igor o cantor & violão acustico  abriu sua apresentação com duas noticias efevercentes: sua apresentação no Rock In Rio abrindo para o Gun's and Roses, e sua paritipação na tour de David Bowie na Corsega pelo mes de fevereiro/2012. Sua apresentação foi pocket. Compareceu, trazendo sua imagem de ciganos do palco ele seu parceiro tem um clima de gringos chegando de uma grande festa com Keith Richards, Cinderella's, Motley Crue e Skid Row, para finalizar reprisaram um hit que foi lançado na pág. do face's em dvd que causou grande furor, tocaram para os filhos da Mary Lee que acabavam de chegar. Enquanto anunciavamos as ultimas informações a respeito do  lançamento oficial do DVD do Hard Money 18 anos de palco o famingerado Do IT Yourself nas garagens da Kinoarte local cinéfilo-art de Londrina, Agenor Evangelista 28 anos de Festival Amostra Zumbi, presenteava a menina Renata com um de seu quadros de mulheres fartas & negras esbanjado senxualidades em suas mini pinturas, Renata que abriu o verbo no face's exigindo ganhar em seu aniversario o livro biográfico de Patty Smith.

The Beatrices
 Entram as meninas do Beatrice's, comandadas por Suyanne  lider vocal & guitar que botou  esta banda na estrada em 2005..dando um tempo em 2008, fizeram grandes participações no projeto Papo de Rock em colegios por onde o projeto passava. Bons tempos e desenhos se formaram fortes na personalidades desta garotas tão jovens e decididas, sua baterista tinha então na época 15 anos, que chamou atenção de um dos maiores baterista do Brasil Eduardo Batistela com quem fez aulas para aplacar sua batida. Tocaram hinos de repulsa ao preconceito e louvores a liberação feninina, alem de umas autorais para garantir tudo isso terminaram com What's up de Linda Perry.

 Estamos com a praça lotada e vamos para o rock  pesado  entra em palco Luke The Eld Trio, é preciso lembrar que o nome é uma homenagem minha a o Album The Eld do Kiss, na verdade eles atendem por Luke Held trio, o nome do guitarrista líder Lucidio de Held da banda RockBrothers, Sara Delallo  baixista da banda Pedreira, na bateria  Dr. Sardi baterista da banda Super Sessenta e o grande mestre do blues Eliezer Botelho Jr. parceiro fiel do Kiko Jozzolino Acustico Blues Trio, o menor set da noite com dois petardos de incendiar galões de gasolina bruta. Little Wing versão especial do Luke que apresentou sua guitar que tinha acabado de chegar de NY, e a famosa versão de  I Can't Get No Satifaction, em ultralightjethardrockexpress., esta versão sempre incendeia a palateia, sentindo que ela esta no extase, Luke abre o verbo certo na momento exato: "Estes politicos.."esta incendiado o posto de gasolina esta é a frase certa para pegar fogo de um palito de fosoforo ate um posto de gasolina inteiro nada escapa..inflamou a plateia e o retorno é imediato, unissono :..F*..the  politics.
Luke De Held Trio & Carlos Sardi
Entra em cena a camarilia do B-SIDE, momento onde o rock comeu solto e folgado com gente habilitada na proesa. Giba & Caveira suas especilidades são a guitarra, suas frases encontram no baixo uma cama elastica para voltar e reverberar nota por nota do swing do slide prometido e cumprido, a batera mantem o bit, e a razão cai por terra, e o rock rola feito enchorrada. A população esta completa ate a boca, estamos por volta de 400 pessoas refletindo a ideia de Mister Luke..um concerto pela Paz..de todos os presentes. No inicio desse texto indiquei a lua que estava em atividade Quarto Crescente, a lua que vem desde os primordios da arte acompanhando a orda dos ciganos,e por onde eles passam, divertindo todos entre o céu e a terra, nada ficou de fora..se fossemos fazer numerais estatisticamente diria que no minimo 2mil pessoas nos ouviam nesta noite de prazer, musica e a doração a..paz.

Banda B-Side


sexta-feira, agosto 19, 2011

GATOS SIAMESES



 Seriam gatos siameses, bem burgueses se não fossem gays rolandenses, gostam do Verve e do Coldplay.
São dois garotos um de 20 e outro de 21anos, um é alto tipo 1.80 e o outro 1.60 de alura.
Os dois vivem de gatos &sapatos, lutam amarrados, e se amam apertados. Antes de se amarem , brigam como gatos no cio e depois love descarados. Locaram um quarto  ao lado do meu, e logo se mudaram para um com  banheiro alegando que não aceitava  o marido se banhando em chuveiro comunitario ..."o que é isso meu Deus pode pegar qualquer coisa nessa lajota pública". O marido é uma moça delicada, mãozinha a francesa e andar delgado, se negam a  fazerem a beleza porque cada um faz a do outro. O marido atende por Luan, em dias felizes é chamado de Luan do sertão. A esposa não aceita que o  esposo faça a faxina, deixa que ela cozinha  e lava tudo na maior gracinha. Dias desses convidaram um gato angorá, para festarem sua venda dos dia das mães. Champagne com taças e fuga na praça. O marido sumiu de casa. A mulher não aceitou e foi buscar seu gato na casa do angorá. Prometendo que se isso novamente acontecer, ira ao bosque  para   distribuir de graça fazer uma festa na floresta. Dias desse levantei cedo para ver a ultima estrela se ir e lá vem os dois, um na frente e outro atras, olha só ..fui buscar minha mulher e achei a jogada na rua arrastando o couro e o anel.

Frases como: Não te quero mais, leva tudo que é seu, é comum e quase todo dia. Dona Nilza adotou a dupla e alimenta esse amor inocente quase que diariamente. São dois garotos espertos atentos a vida, levantam cedo para trabalhar vendendo calçados femininos em lojas do centro, o patrão gosta tanto que separou os dois para melhor render e atrair freguesas elas gostam de ser atendidas por entendidos. Sonho deles é casar no Uruguai...a melhor noticia foi do beijo gay que vai acontecer na Espanha quando o papa passar..seriam gatos se não fossem gays


quinta-feira, agosto 18, 2011

Sou quase um..Américo


Sou quase um.... MARCIO AMÉRICO

Diria com muito fundamento...pera aí vou explicar, enquanto o Eric Burdon leva um third stone from the sun de  Jimi Hendrix nas caixas, vou tecendo esta imaginavel comparação.
Partindo da premissa que estou me comparando  com ele partiremos da imagem que olhamos um espelho e ele reflete o que vemos  e muito alem...
Marcio como diz o livro meninos de kichute viveu ali pela Vila Nova, bairro historico da cidade de Londrina.Pr. eu  mais longe estava  lá no centro,  rua Quintino Bocaiuva, em frente a um ponto de taxis onde...seu pai tinha um biribinha carro ingles transformado em taxis. Seu pai como o meu eram de estatura alta, magros e morenos claros e elegantes. Esta época remota os tempos de 8 a 10 anos meus, tinhamos sonhos ele ter um kichute, para jogar bola, eu um Conga uma camiseta branca e uma calça Lee, que meu pai alegava ser uniforme de comunista, tive que trabalhar fora para ter meu salario e adquirir  este sonho , quando comprei o trio perfeito de uniforme do super heroi capitão Marlon Brandon, descobri que meu  pai tinha razão ficava muito igual eu tinha que ser personal operario e não uniforme de playboy, fiquei afim de um uniforme da Esso ou Texaco, consegui um da Texaco, por pouco tempo, macacão enche o saco. Nesta época eu já era malvado e bagunceiro, estudava no Grupo Escolar Hugo Simas, levava boletim para casa para ser assinado pelos pais quer dizer: esta suspenso...motivo: muita briga, e brincar de salva no terreno onde hoje é o Colegio Aplicação...quanto ao Marcio..leia no seu livro,ou assista o filme... como adquir um livro, entre no site Marcio@MarcioAmerico.com.br e compre direto de suas mãos. Os dois nessa época apesar dos pesares eramos ecológicos, alimentação sadia e brincadeiras inocentes, eu um pouquinho a mais do que o Marcio, não tomava iogurte, mas brincava de médico com minha irmã, a Kimico nossa fiel amiguinha de hospital, sua priminha Timmy e uma vizinha Karina companheira de aula de musica onde fazia todos acreditarem que estava estudando piano...uma brincadeira inocente como qualquer outra de carrinhos e todos viam porque era a saida do cine Brasilia, que desembocava no corredor imenso de casa e saia na rua. Um garoto saudavel e cheio de boas intenções. Coleções de gibis que quando entrava no cinema aos domingos usava tres poltronas, duas ao lado para os gibis e uma para sentar, garrafa de sodinha na mão e sanduiche de mortadela na outra, nos intervalos troca de gibis... isso acontecia justamente quando em casa no domingo minha mãe fazia macarronada da Mama para o Paulinho, e a figura amarrado dentro do cinema, quando aparecia meu irmão e meu pai era aquela correria para não ir para casa. Esse foi o Paulinho em evolução.
sentado : bigpaul(Paulao rock'n'Roll) Osvaldo Coyote, Rodrigo Garcia Lopes, Marcio Americo. Marcos Losnak, secret. de cult. Luciano Bitencourt,no chão : Eduardo Tadeu, Mariozinho Rocha e Maria Angelica Abramo - Local conhecido como: Escritorio do Paulão Rock'n'Roll, jardim em frente a entrada da secretaria de cultura de Londrina, hoje em reforma a 1 ano, praticameneta bandonada pela situação politica da cidade. Estamos atendendo em frente na concha acustica, outro lado da rua.
Chegamos ao encontro entre Américo e Paulão,  Américo casado e bem situado nos teatros e bares  cult da cidade, Paulão tem um programa de radio em grande ascensão...Colisão cultural se deu quando tentaram colocar humor no programa de radio do Paulão ...alguns notaram a tentativa de ser engraçado, humoristico com pitadas de sarcasmo sem muita liga colocando Marcio que já estava em franca atividade quem sabe essa dupla daria certo. Descartado rapidamente por mim, que não conseguia fazer dobradinha com ninguem, em determinado tempo notei as tentativas fracassadas que aconteceram, sempre atropelando que estava ao lado...ainda faço isso. Fomos para o palco da Festa a Fantasia no Parque Governador Ney Braga tentando enriquecer a cena antes e depois dos musicos...a diferença foi que Marcio veio de traveco um travesti dos seus personagens ativos de grande força, eu como apresentador da festa e das bandas..neste dia ficamos atrapalhados porque a banda principal seria Chico Science que veio a falecer dias antes e foi colocado no lugar de ultima hora para a festa acontecer a banda sombra do Chico veio no lugar  Mundo  Livre S/A  banda cansada com um apelo de samba o que de inicio esfriou o palco. Estamos dentro do 10º Distrito Polical de Londrina, onde tive muitos  amigos por lá, fui preso 6 vezes , toda vez que assassinavam um garota, lá estava o Paulão, e todas as vezes devo dizer que fui retirado das masmorras por um jornalista de grande força na policia, que exigia a verdade sobre todas as coisas ou crimes. Estamos de volta com o presidio desativado e vamos fazer o clip da musica do Mario Bortolotto, dirigido por Christina Vianna hoje a senhora do Cemiterio de Automoveis..detalhe Paulão o gigolo do cadeião negociava o traveco, ou travesti Marcio Americo,


........com o tempo Marcio e eu fomos nos contaminando pelos becos da cidade e bares fechados na noite....quando Marcio entrava no ambiente eu ficava   prestando a atenção para ver as gags.. comecei a ficar atento e ver se conseguia tirar dali uma informação para que pudesse melhorar meu humor que sempre  negro, malicioso  sarcastico e desbulhante em relação aos incautos. Desta maneira passei a cuidar de sua aparições em bares e reuniões sociais underground, quase sempre homericas e dificeis de pegar alguma coisa que servisse, para me enriquecer, sou reprovado por mim mesmo. Quando acontecia  minhas apresentações convidava-o para exercer suas atividades e pegar com sua improvisação..quase sempre inéditas e imprevisiveis. Marcio estava muito longe de aprovar esse humilde aluno qua não cabulava aulas. Uma delas foi quando fizemos o lançamento do livro Menino de Kichute na concha eu disse; Senhoras e senhores aqui esta Marcio que fara o lançamento de seu livro sucesso de vendagens, antes que terminasse o texto Marcio passou a jogar seu livro para  a plateia alegando que essa seria um lançamento de fibra...o livro foi literalmente lançado a plateia. Marcio sempre solicito vez por outra passava no escritorio do Paulão, escritorio esse que ficava ao ar livre e para sentar usavamos a mureta do jardim de entrada da Secretaria de Cultura, onde batiam cartões o acessor juridico de assuntos aleatorio o senhor Dr.  Moises, nossa proteção santa ficava a cargo de Ca$H 1, o Cachone formado em Teologia que conheci quando veio a mim dizendo que eu era a escuridão e ele a luz, nosso encontro esta em uma das materia iniciais escritas e registradas neste blog. Agenor Evangelista que só eu chamo-o de Evangelista o doutrinador nosso representante na rede Afroasiatico, Jose Roberstone Pieretti, nosso press ligado com o mundo artistico, Fernanda nossa secretaria  representante nos bombons e dores de amores. Como podem ver o escritorio tinha uma formação elastica e segura,  ecletica e de alma pura. Foi destruida parcialmente por um secretario que não lembro o nome, que sabendo da minha presença no mesmo hotel que ele pediu ao secretario de cultura da cidade onde fariamos apresentações que o colocasse em outro hotel para não ter que encontrar com esse animal doentio, pesado, feio, pobre, desdentado e velho, interessante é que nem o conheço bem.

 Estamos indo para Cornelio Procopio encenar a peça de sua autoria "Comprei e não gostei " minha presença na troupe se deu em falta do sonoplasta colado em um beco qualquer da cidade, substituido na ultima hora pela minha pessoa para realizar a perfeição do trabalho primal que consiste em colocar no ar sons e efeitos produzidos dentro da peça. Feito o ensaio na house do Marcio, com perfeição, estamos a caminho do Thermas na região de Cornelio. Um bom tempo passamos em sinal de espera fariamos a apresentação logo após o curso realizado para os candidatos de uma empresa de produtos eletricos realizando um curso para se adaptarem as novas marcas e produtos. Pronto é nossa vez, tudo armado, passagem de som feito, todos na marca de palco e vamos nós.O pessoal se divertia com o presente dado pelo parque aquatico aos vendedores que ali passaram uma semana de curso extensivo...A peça esta rolando e os dois em palco destribuindo alegria e sorrisos para tudo quanto e lado, quando inicia a vez do Paulão em sua tarefa decisiva...o som tecnico dos efeitos sonoros...derrepente Marcio sinaliza com as frase em efeitos  de observação como: ...E aí Paulão o coração batia forte...não é Paulão !!! o coração bate o não bate...o  comprador não aguenta mais o coração esta parando não esta Paulão...eu como o  resto da plateia se divertia aos bordões enquanto os atores tentavam completar o texto sem o audio que o Paulão deveria ter colocado no ar...coisa simples...mas para profisionais é mais simples...agora para fã é muito dificil, fiz com que o show fosse prolongado e digno de palmas, porque só o Marcio para criar cacos e preencher as lacunas deixada pelo fã e não um profissional que deveria estar ali, funcionando...Neste dia descobri que podia ganhar dinheiro rindo e participando de peças do Marcio Americo, um amigo simples e lutador que se não fosse sua mulher, a grande pessoa deste texto que escrevo agora não lutasse pelo nosso heroi urbano que é Marcio, uma mulher forte uma esposa firme e decidida, que não deixou a peteca cair em momento algum. Lutou com sua familia e a dele para manter essa pessoa iluminada continuasse seu trabalho...este texto todo  homenagea esta criatura que se chama  Renata, que por tras dos bastidores manteve essa familia, segurando muitas barras, tendo filhos formando uma familia, trabalhando  e protegendo o grande escritor que Marcio conseguiu ser.



Apoiado sempre e inrestrito pela figura mater desta historia que ainda não acabou e faz de Marcio hoje uma figura impar da rede social e dos teatros de São Paulo com suas peças em cartaz, fazendo maior sucesso, com direito até a sentar no sofa do Jô Soares mais de duas vezes. Tento fazer uma homenagem a essa figura pacifica que acompanhei em alguns dias e algumas noites em Londrina e nesse caso especial de Cornelio Procopio, onde fiz uma participação especial, quando ele me chamou ao palco me apresentando como o radialista de efeitos sonoros radicais e programações infernais do programa de FM onde ele deve ter se inspirado para não nunca fazer um personagem como este trapalhão perigoso que quase derubou  seu trabalho...Longa vida Marcio Americo,para que eu possa rir muito de seus novos textos..como : O Homem que queria ser Rita Cadillac em cartaz neste momento que tento escrever essa pequena homenagem ao humorista que leva o nome da cidade como todos nós que tambem sonhamos e ainda não conseguimos ele já conseguiu.

B.O. ganhei do Marcio um exemplar que guardo com maior carinho : Corações de Aluguel, muito breve nas telas, a tradução fiel da frase do Zappa esta extendido neste livro : se quiser sexo vá para a Universidade se quiser aprender vá a biblioteca.











Poema Mário de Andrade -